fbpx
Arte Serrinha

Residência Musical

Benjamin Taubkin, Guilherme Kastrup, Paulo Santos, Carol d’Ávila e Meno del Picchia – Residência Musical

Vagas: 20 

19 a 23 de julho | Horário: Das 10h30 às 12h e das 15h às 18h 

Pré-requisito: ter iniciação em música e o seu instrumento próprio.

A residência musical desta edição de 2022 quer lidar com os desafios ambientais e sociopolíticos ligados às diferentes realidades do nosso tempo, apostando na criação de formas conscientes e explícitas de experiências e vivências como possível alternativa ao desmonte que vemos acontecer no Brasil.

Essa residência está pautada nos seguintes eixos:

1- diálogo da música com outras linguagens- poesia, dança , artes visuais , fotografia e cinema. A cada dia teremos um encontro com artistas destas áreas de expressão.

2- Exercícios de criação espontânea – música criada no ato de tocar – em grupo.

3- Arranjos e caminhos para composições trazidas pelos criadores da residência.

Serão cinco músicos – Benjamim Taubkin (piano e teclado), Paulo Santos e Guilherme Kastrup (percussão e bateria), Meno Del Picchia (contrabaixo) e Carol D’Avila (flauta e sax) – criando em tempo real e em constante diálogo com artistas de outras áreas de expressão, como cinema, fotografia, artes visuais e moda. Cada instrumentista falará sobre um aspecto do processo musical e compartilhará sua experiência com os alunos, que poderão abordar seus instrumentos e a forma como veem e constroem sua música. Os participantes/alunos serão convidados a acompanhar todo o processo – havendo momentos de perguntas, trocas, conversas e também de performance, onde serão chamados a tocar. 

Benjamim Taubkin

A música brasileira e seu diálogo com as outras culturas vêm sendo o campo de atividade deste pianista, arranjador, compositor e produtor que já participou de mais de 150 álbuns. É responsável pela gravadora, produtora e centro cultural Núcleo Contemporâneo (SP). Já iniciou diferentes projetos musicais, como a Orquestra Popular de Câmara; o conjunto de choro Moderna Tradição, o trabalho com o grupo de música tradicional Clareira, o quarteto de jazz Trio + 1 e o coletivo América Contemporânea, que reúne músicos e repertório de países da América do Sul. Vem colaborando com músicos de diversos países, como Marrocos, Coreia do Sul, África do Sul, Índia, Israel, Espanha, Argentina e Colômbia. Criou diversas trilhas para documentários, entre as quais “Eu Maior”, “Cravos” e “Genesis”, material educativo realizado em parceria com Sebastião Salgado. É membro do Fórum Europeu de Festivais de Música do Mundo e da Asociación para el Desarrollo de la Industria de la Música Iberoamericana.

 

Carol D’Avila

Flautista, saxofonista, compositora e mineira da cidade de Ubá, onde nasceu em berço musical. A artista tem mais de vinte anos de carreira e uma história de 12 anos como integrante do Itiberê Zwarg & Grupo. 

 

Guilherme Kastrup

Guilherme Kastrup, criador e produtor musical do premiado álbum “A Mulher do Fim do Mundo”, de Elza Soares, resume aos espectadores aspectos técnicos e estético para a criação de um álbum, incluindo pré-produção (escolha de repertório, instrumentação, estúdios, ensaios e arranjos), captação/gravação (acústica, microfonação, pré-amplificadores, interfaces e programas de gravação analógico e digital), pós-produção (escolha de takes, edição e afinação) e finalização (mixagem e masterização).

 

Meno Del Picchia

Músico e antropólogo, seu trabalho atravessa o universo sonoro pela arte, pesquisa acadêmica e produção musical. Em 2020, lançou seu quarto disco solo, “Pele de Água”, e teve seu documentário musical “Crie Seu Espaço” veiculado na programação do Canal Arte 1. Como instrumentista, também integra os projetos de Otto e Ana Cañas e já tocou com artistas como Karina Buhr, Tulipa Ruiz, Alessandra Leão, Bocato, Diddier Lockwood, Mc Sombra e Metá Metá. Durante a residência de música, Meno propõe o tema “Discos e artistas em ação”, uma análise dos modos contemporâneos de produção de disco sob uma perspectiva etnográfica, discutindo as dinâmicas criativas de músicos da cena brasileira dentro de estúdio.

 

Paulo Santos

Músico, multi-instrumentista e cofundador do gupo de música instrumental Uakti, lançou em março de 2022 o álbum “Chama” (Selo Sesc), no qual toca todos os instrumentos, que vão da tabla indiana ao uso de samplers e texturas digitais, em uma união do acústico e o digital. Durante a residência, o músico aborda sua trajetória de 37 anos junto ao Uakti, o desenvolvimento de técnicas para tocar instrumentos não convencionais, trilhas e trabalhos solo atuais.

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *